Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Nascente
 
Não esquecerei o rio
onde fui gota pequenina.
Onde a vida se fez vida
pelo amor de outras vidas.
 
Oceanos que se amaram
e suas águas ajuntaram,
num espaço aconchegante,
um filete me tornaram.
 
Olho d’água que eclodiu
pelo amor de duas vidas,
para transformar-me rio,
e germinar em outras vidas.
 
Não esquecerei o rio
e nem tão pouco o olho d’água.
Nem do filete que escorreu
e pela relva caminhava.
 
Fui regato e fui riacho,
água fresca, cristalina,
desci serras e montanhas,
rolei pedras no caminho.
 
Provei dor nas travessias
e também tive alegrias.
Gota a gota eu ajuntava
nos afluente que encontrava.
 
Avolumando minhas águas,
escorrendo pela terra.
Germinando a semente,
verdejando as campinas,
para a vida ir em frente.
 
Ainda não sou oceano.
Sou pequena aprendiz,
e continuo a juntar águas,
sem me esquecer do rio,
e também do olho d’água.
 
Edith Lobato
Enviado por Edith Lobato em 24/08/2007
Reeditado em 19/06/2015
Código do texto: T621848
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edith Lobato). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Edith Lobato
Itaituba - Pará - Brasil
192 textos (66054 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 02:30)
Edith Lobato