Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A cruel dor da dúvida

Quem sabe eu seja apenas mais um louco
ou talvez eu seja um dos poucos lúcidos deste mundo
pois não vejo o amor como algo carnal, pele e osso
vejo-o com a alma, com o calor que auto se icendeia

Meu amor não precisa ser dito, demonstrado
pois atavés dos meus olhos digo-o até demais
Tenho um amor incansável e inesgotável dentro do peito
e o chamo de Amor Sincero, puro e eterno

O único impeçilho para que eu não esteja feliz
é que este amor não esta sendo retribuído à altura
e será que deveria? Será que me contentaria ?!
Tenho certeza que sim.

Já nadei muito contra a maré e sei o quanto doem os braços
mas desta vez vou deixar a correnteza me levar
As vezes penso que estou forçando-a para que sinta o mesmo
e talvez nem tenha percebido, que em todas estas águas agitadas e inquietas, ela já tenha nadado, e esteja me esperando de braços abertos nas águas calmas que se aconchegam após as quais eu nado ..

E enquanto meus princípios me cegam
pensando estar esperando por ela,
É ela que me espera, e espera pelo fim das minhas próprias correntezas que a deixam tão longe de mim..
GuilhermeM
Enviado por GuilhermeM em 26/08/2007
Reeditado em 26/08/2007
Código do texto: T624067

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor [Guilherme Mânica] e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
GuilhermeM
Passo Fundo - Rio Grande do Sul - Brasil, 30 anos
23 textos (2166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 13:16)
GuilhermeM