Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O choro das estrelas

No eco do silêncio, desajeitado no gesto,
O homem verteu em desarranjadas melodias
Notas sobre entusiasmos desnudados.

E despediu-se da madrugada,
Sentindo por momentos que
Lua e Sol se tinham desposado…
Com arroz, flores, coro e tudo…

Tudo?

Não!

No eco do seu silêncio, faltavam as companheiras de jornada.
E, com alongada tristeza,
Pediu duas lágrimas no leito que ele mesmo desenhara.

E falou assim:

Chorai por mim, estrelas desse mar azul e negro,
Que os meus olhos secaram.

Chorai por mim, estrelas desse mar azul e negro,
Que o maná da minha generosidade, tamanina,
Não chegou para vos libertar.

Chorai por mim, estrelas,
Que pelas minhas mãos exangues escorrem rios ensanguentados,
Unidos em entrelaçadas nostalgias
Com aquele tempo, estrelas, em que, em fervor,
O Amor, o Sonho e a Paixão
Sentiam as mãos…

Estrelas,
Chorai por mim…
(DIONÍSIO VILA MAIOR, in "Cântico Atlante", Coimbra, Pé de Página Editores)
DC
Enviado por DC em 28/08/2007
Código do texto: T627778

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DC
Portugal
16 textos (548 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 23:15)
DC