Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A pequena Rosa

Ia caminhar pelas estradas do mar, trajando apenas as veste da solidão. Olhando o vago que participava do meu ser, da minha solitária vida.
Estes vagos me mostravam cores suáveis como os seus lábios, suáveis,  como as suas palavras de amor. E dos meus pensamentos retiravam você.
Com brilhos nos olhos, com suáveis toques de lábios, me causando arrepios.
Os que surgiam em minha gente são as caminhadas que já percorri esquecendo assim os teus beijos, e lembrando em seguida, que apenas com a solidão estaria.
Cansei-me de  tanto andar, sentei ofegante resolvi sussurrar , o se nome para que um anjo passasse, e me abençoasse.
Trazendo com todo o nosso amor, marcado apenas por palavras gentis e solidarias de um papo estranho. Nos meus pensamentos entrei, e o que me trouxe de volta foi a flor que enxerguei  .
Os meus olhos se encontraram com tanta beleza, por estar em um lugar solitário e sem vida. Olhei, olhei...e me espantei quando ela me sorriu.
Assustada, tentei fugir, mas nada me fazia correr, pois a beleza era tanta que parecia me enfeitiçar. Ela se aproximou de mim como as criaturas humanas, e sorrindo pediu que eu não me deixasse entristecer.
Embriagada com tanta beleza fiquei a ela escutar. E entendendo as palavras dela, descobri que aqueles caminhos tristes e sem vida, eram na verdade do meu coração. Foi nesse momento que entendi que nas rosas foi refletida, a minha alma que triste pedia para eu sorri.
Talita Cruz
Enviado por Talita Cruz em 30/08/2007
Reeditado em 31/08/2007
Código do texto: T631170

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Talita Cruz
Caraguatatuba - São Paulo - Brasil, 32 anos
22 textos (876 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 15:04)
Talita Cruz