Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Por trás dos óculos

Por trás dos óculos


Qual espanto meu, o dia em que aconteceu.
Ao pedir a você que destes óculos saisse,

Ao que pronto você se pos, e perante meus.
Olhos, você tirou.

Aquele vidro escuro que a tudo esconde
E com tal surpresa aos seus olhos ate então,
Escondidos, eu pude ver.

Tão rara beleza nesta cor de mel que parece,
Deixar, transbordar de dentro de ti, o amor
e o carinho que em teu coração abita,

O tão doce visão que de ti pude ter, com a
Certeza de outra assim tão bela nunca
Ter.

Haverei Sr. de um dia poder quem sabe ver novamente
Tal rara beleza, em forma de pedras brilhantes e úmidas.

Úmidas em potes de mel, que derramam seu doce liquido
Em cachoeiras de infinita beleza.

Obrigado a você por deichar-me ter esse instante de
Deslumbre a que meus olhos nunca ao de esquecer.





Agradeço a um amigo querido
Que com paciência leu esta
Para min e com seu maravilho
Brilho a fez mais que um
Simples rabisco.

Obrig t. neto.
amaury candido
Enviado por amaury candido em 12/09/2007
Reeditado em 17/10/2007
Código do texto: T648750
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do altor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
amaury candido
Sinop - Mato Grosso - Brasil, 57 anos
18 textos (1978 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 06:46)
amaury candido