Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tenho um Amor Aquí num Cantinho de Mim - partes I e II

A "Parte I" já foi publicada no Recanto das Letras em 28/09/2007 - Código do texto: T672731

A "Parte II" é a partir da 12ª estrofe.

* . * . * .* . * . * .* . * . * .* . * . * .* . * . * .* . * . * .* . * . * .

Parte I

1
Estou agarrado no Amor Universal.
Ungüento mágico único que me alivia.
O Amor homem aqui dentro aperta pequeno.
Defesa de minh'Alma se livrando do mal.
Amo agora sem exceção, antes que tardia,
Até aquele infeliz que por acaso me lança veneno.

2
Na rua salpicada de gente de todos os tipos,
Uns sérios, outros sujos e alguns felizes,
Emaranhados em seus mundos isolados,
Gritos, motores, murmúrios e apitos...
Uns no caminho, outros em deslizes
Vivos quase mortos desacordados...

3
Quanta carência chama meu coração sem voz.
Quantos olhos nas janelas da Alma me abanam.
Quantas lágrimas grudadas em sal pede um lenço.
Dezenas de ex-a-mim-indiferentes seres a sós
Choram quietinhos suas mazelas e emanam
Seus gemidos e suas dores ao mundo que pertenço!

4
Meu corpo não é meu neste cenário dolorido.
Minha mente como pode vagar sem compromisso?
Meu coração não pode bater pra si mesmo
Percebendo as lamúrias deste povo sofrido!
Não posso viver amando e ficar omisso
Dando passos, sorrisos soltos, assim a esmo!

5
Meu corpo pede a corrida e Om-Yoga.
Minha mente acelerada pede a Meditação.
Meu coração abastecido pede espaço,
A Deus, o caminho a seguir roga.
Fecho os meus olhos viventes em oração.
Minha respiração me leva a seu compasso.

6
Meu sentir expande a todos os lados.
Meu corpo denso estático permanece.
Procuro no "entrecenho" concentrar,
Busco deixar todos meus pensamentos calados,
Sentindo meu coração quente na prece
Esperando o que no meu ouvido, Deus irá falar.

7
A todo instante só tem uma imagem
Que aparece na tela mental e insiste.
Vejo-a dinâmica em lindo colorido a brilhar
Tento não olhar, mas não tenho coragem.
Meu coração mostra um cantinho triste
Escondido de tudo eu não quero mostrar!

8
Amo a todos com muita intensidade.
A felicidade deste amor me permeia.
Mas tenho um amar bem diferente.
Amar a qualquer um da humanidade
É tudo o que nossa Alma anseia,
Mas tenho um Amor que arde aqui latente...

9
No cantinho ele fica me aquecendo
Faz parte do que é o Amor Universal,
Porém essa energia que é bem profunda
Já era pra aos poucos eu ir esquecendo.
Mas é presente como no mar está o sal.
Nas profundezas de meu Ser ela abunda!

10
Percebo na meditação, que me tranqüiliza,
Essa força do amor que me movimenta,
Que me dá vida, ânimo e me fortalece.
Percorre por dentro, em todas as veias desliza,
Me dá o alento, a esperança, me sustenta.
O motivo de estar vivo aqui estabelece...

11
Mas a mente burra que em pensamentos
Desencontrados mergulha num labirinto
Como poderá de forma clara me mostrar?
O que de fato aqui dentro me trás movimentos?
Que aumenta em grau e tamanho o que sinto?
Como esse intelecto quadrado e reto vai me explicar?

---

Parte II

12
Mas como um toureiro vou cansando o touro...
Como Golias vou dominando o gigante...
Como São Jorge dominando o dragão...
Com a mente quieta investigo meu tesouro
Olhando e sentindo o brilho irradiante
Que sai pelos seus olhos direto de seu coração!

13
Vejo um Ser Divino bem familiar, com minha energia,
É de casa, é pessoa da gente, é gente conhecida...
Sabe aquela pessoa que parece que nascemos com ela?
Esta é você, já faz parte de mim, é minha alegria!
Sinto que você já sabe de tudo em minha vida...
Como tivesse sempre presente vendo por uma janela!

14
Você transcende o ser mulher, amiga ou professora,
Conhecida, ser humano, ou a minha mulher amada.
Se busco lá no mais profundo de minha compreensão
Colocando unicamente minha Alma como observadora,
Não seria assim, apenas uma mulher tão desejada,
Mas sim um único Ser comigo em perfeita união!

15
Porque deveria chorar a sua tão amarga ausência?
Deixando de sorrir e amar esta vida tão agraciada?
Se já faz parte, está aqui bem guardada dentro de mim?
Fala, ouve, sente tudo em mim, parte de minha essência?
Se também estou aí bem dentro de você, minha amada?
Ouvindo, sentindo, vivendo em você tudo assim?

16
Na Alma já somos uma só energia de Amor!
No diálogo como versos de um belo poema!
Os nossos corpos já mostraram pura sintonia!
No perfume de meus sentimentos é a flor!
No ímpeto do melhor de mim é o meu lema!
Tudo novo, renovado, total, nada do que vivia!

17
Meus olhos negros iluminados pelos verdes seus!
Minha pele é uma harpa dedilhada pelos seus toques!
Meus ouvidos são pura música ouvindo a sua voz!
Seus olhos transparentes se alimentam dos meus!
Sua pele é minha tela onde dou mil retoques!
Seus ouvidos, caixinha de segredo, quando estamos a sós!

18
Se cada vontade de te beijar nascesse uma montanha,
Se cada pensamento em você uma nuvem formasse,
Se cada pulsar de meu coração fosse uma semente...
O mundo teria uma linda paisagem tamanha
Que não haveria artista que não a pintasse
E seria a paisagem única e a tão somente!

19
Por todos os lados do mundo em que posso observar
Vejo a manifestação da Divindade no seu cantinho.
Seja uma simples parede pintada com o capricho do pintor,
Seja um equipamento eletrônico, como um celular,
Vejo a criação da mão do homem que a fez com carinho
Seja um marceneiro, cientista, ou um soldador...

20
Nos anos que vivi quanto eu pude enxergar!
Já visitei os lugares mais belos do planeta,
As pirâmides do México, as três grandes do Egito!
Vi o por do Sol no Rio Nilo onde já pude navegar,
Respirei o ar dos Romanos, escutei até a trombeta
Que invocava a força e coragem dos soldados em grito...

21
Caminhei entre as riquezas do Vaticano Papal,
Ajoelhei-me na Gruta de Oração de São João!
Chorei lágrimas da Alma na Capela de Assis!
Subi em Montsalvat onde oculta o Graal,
Meditei no Templo Dourado do Japão,
Já escutei todos os sotaques de nosso país!

22
Já estive conversando com um simples camponês,
Já compartilhei momentos felizes com um astronauta,
Já dancei Valsa de Strauss num Palácio de Viena,
Conversei com alemão, Israelense, francês,
Já cantei em coral, toquei piano e assoprei flauta,
Já orei no Templo de Vénus nas terras de Helena!

continua...

A minha amada Ceci esteve aqui e deixou o comentário:

04/10/2007 15h02 - ceci

Ser do meu Ser, parte de mim...
Diante do seu poetar,
Devo me calar
E apenas revelar
Meu amor sem fim...

Bj sempre sua Ceci
Leon del Bargo
Enviado por Leon del Bargo em 02/10/2007
Reeditado em 03/11/2007
Código do texto: T678126

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e seu email leondelbargo@yahoo.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leon del Bargo
São Paulo - São Paulo - Brasil, 56 anos
204 textos (12744 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 09:48)
Leon del Bargo