Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PENSEI QUE NÃO FICARIA TÃO SEM SENTIDO ESTA SENSSAÇÃO DE NÃO TER ALGUEM

                 



                              PARA OUVIR E CHORAR
                   PARA FAZER SOFRER ENQUANTO LEVAR
  TUDO EM QUE SE TORNA VAZIO QUANDO É SÓ A NOITE E NADA MAIS
     MERGULHANDO NO ESCURO TENTADO A ENCONTRAR AQUELA PAZ.


   ENQUANTO O ESPIRITO DE TANTAS DERROTAS CHEGA AO PERECER
                       SEM VONTADE PROPRIA OU QUERER
    SE TORNA INSTAVEL DIAGNOSTICADO ONDE AS GUARDAS NUNCA
                         SÃO LOVAVEIS NEM VÃO VENCER.


            PERCOME NA SOLIDÃO DEVASTANTE QUE DIZ SEM PENSAR
                    GRANDE DERROTADO SUA TENDENCIA É PIORAR
       SURRO O PSICOLOGICO DE FORMA PARA ENCONTRAR UMA SAIDA
                     UMA CURA PARA TODAS ESTAS FERIDAS.


         SINTO SAUDADE DAS GLORIAS, VITÓRIAS FARDANTES,
                           EM OFEGANTES CORRIDAS
         MEDALHAS NO PEITO ENFADANTE NA VISÃO DA ESTIMA
        MEUS IRMÃO NEM TENTARAN SE UFUNDARAM NA COCAINA.


          UM SUSPIRO DE DESABAFO SENTI A NOITE DAS FALHAS
                    O CORPO SE DESPRENDENDO DA ALMA
                  VISTE O MAIS NOVO DEFUNTO ALI TRAIDO
              TORPIDO CRIANDO O ESTAR SIMPLISMENTE CAIDO.


         POR VARIAS HORAS TENHO AQUELA VONTADE DE MORRER
          APENAS DEITAR E OS DIAS NÃO MAIS PASSAREM A TER
                          ESTE GOSTO DE MERDA CULTURAL
            TRISTEMENTE ME PONHO NO LUGAR DOS VITORIOSOS
                      QUE SEMPRE SENTEM FEBRE NOS OLHOS.


                                   Ó DOCE DEFINGHER.
          CRIATURA MARINHA QUE ESCARNIFICA AURAS PORCAS
                  DRAMATURGICA DOS DESEJOS INFINDAVEIS
                     POSSUIDORA DE PRASERES MUNDANOS
                   AIDETICAS DAS ORGIAS PROSTIBULENTAS
       MONSTRO DE SETE CAPAS SOLTANDO FOGO PELAS VENTAS.


                     MOSTRAS PERNAS E VULVA PELUDA
                     SEIOS DE CANCER E MORTE VICERAL
ENQUANTO DA MINHA VARANDA EU VEJO O VENTO MOUVER O VARAL
DIEGO HUXLEY
Enviado por DIEGO HUXLEY em 08/10/2007
Código do texto: T685471

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DIEGO HUXLEY
Sobradinho - Distrito Federal - Brasil, 30 anos
221 textos (11169 leituras)
1 áudios (42 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 04:06)
DIEGO HUXLEY