Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ponto de Partida

Ponto de partida

Quando um namoro acaba
Não significa que o amor
E o bem-querer morreram

O bem-querer e o amor só padecem
Quando vemos quem amamos abandonar
Aquilo que doamos de melhor
Que há em nós.

É algo semelhante a presente devolvido
A recado que não chegou ao destino
A palavra que nadou, nadou e morreu
Na beira do mar

Relacionamentos se vão, mas
O amor se eterniza relembrado
Em seus mais belos e doces momentos,

No reconhecimento do pouco de nós
Que ficou no outro. Partículas de nós.
Pedaços de um tempo compartilhado,
Vida pulsante.

Um namoro não foi mais pleno porque durou
Mais tempo que um outro namoro.
Cada beijo e cada abraço comportam
Em si um calor e um sabor especial
Só seu e incomparável

Um namoro não termina porque não deu certo
Se não fosse certo nunca teria começado
Acabou porque todas as coisas são findas

Brindemos aos longos  e aos curtos namoros!

Que se morra na beira do mar!
Mas, nunca de cansadas braçadas de derrotas
E sim da coragem de amar até
O bravo e revolto carinho do MAR.

                                  Analúcia Azevedo. 20.07.2005.
Analúcia Azevedo
Enviado por Analúcia Azevedo em 24/10/2007
Código do texto: T708337
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Analúcia Azevedo
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 43 anos
127 textos (12371 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 13:01)
Analúcia Azevedo