Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMOR DEMASIADAMENTE HUMANO

Em homenagem ao sábio e divino Cartola

Amei, amei, amei, amei...
Amei e aceitei
Amei e apaixonei
Amei e iluminei

Amei e acabei
Amei e rasguei
Amei e cortei
Amei e cansei

Amei com amor
Amei com valor
Amei com dor
Amei com pavor

Amei amor sem comparação
Elas se foram, você ficou
Agora a amo como a ninguém
A desejo e a quero como a mim você fosse

Não busque comparações
Amar é uma arte
Amar é um mistério
O amor é meu

O amor
Não é, e nunca foi delas
Ele está em mim, a mim ele pertence
Elas perderam, eu ganhei, venci e sobrevivi

Por isso, o ofereço com humildade
Não é muito
Sou eu
Não crie dúvidas

Sou mutante, somos mutantes
Não produza mágoas, tudo passou
Ajude-me a preservar o que novamente me invade
A capacidade de entregar, doar, adorar, valorizar, auxiliar, cuidar e amar...


Lúcio Alves de Barros (poesia publicada no livro BARROS, Lúcio Alves de & VILELA, Antônio Henrique. Das emoções frágeis e efêmeras. Belo Horizonte: Ed. ASA, 2006. p. 118 e 119).
Lúcio Alves de Barros
Enviado por Lúcio Alves de Barros em 28/10/2007
Código do texto: T713076
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.sitedo autor.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lúcio Alves de Barros
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
462 textos (50396 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 06:18)
Lúcio Alves de Barros