Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SOMENTE UM

Estou fadado a ouvir os seus passos
pelos quais vai firme e devagar,
sobre pequenas nuvens e espumas do mar.

Penso e imagino os leves deslocamentos
que lentos vão atender a um chamado que desconhecido.
Contorço de ciúmes e sonho que caminha em minha direção.

O auto-engano me traz sua voz
que cochicha em meus ouvidos e acalma
sossegando o coração e a alma partida pelo medo do desconhecido.

O mundo não espera, o cansaço me supera e rouba forças
Guardadas para cuidar de suas dores, desamores e infortúnios.
À deriva navego em um turbilhão de ondas de sentimentos,
o ar me falta, mas e a desejo tanto que não abro mão de seus sofrimentos.

Se necessário quero me confundir com eles
Acabar-me neles e,
diante da possibilidade de vê-la infeliz,
sonho em protegê-la, em tê-la, em ser você
e que somos, nesse mundo desencantado, somente um.

***
Lúcio Alves de Barros (poesia publicada no livro BARROS, Lúcio Alves de & VILELA, Antônio Henrique. Das emoções frágeis e efêmeras. Belo Horizonte: Ed. ASA, 2006. p. 102).
Lúcio Alves de Barros
Enviado por Lúcio Alves de Barros em 28/10/2007
Código do texto: T713088
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.sitedo autor.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lúcio Alves de Barros
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
462 textos (50393 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 19:22)
Lúcio Alves de Barros