Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

À Soma

De que adianta ter a luz e não o dia,
Oxigênio sem o ar, e ar sem respirar,
De que adianta conhecer mas não fazer,
De que adianta ser vermelho, sem azul?

Amar na efêmera outorga solitária,
Deste amor que não se ama, se cala,
E deste amor que não existe,
Tal sentimento que me consome, só.
E o desejo que me persiste, amar.

Se hoje escrevo, é porque sua existência,
Me permitiu o uso da rara e bela cor,
Que dessa essência, pude expelir o meu sufoco,
O desejo de amar, e que não fosse na solidão,
Apenas ser e sentir, o vermelho coração.

E como acompanhante, me trouxe outra luz,
Aquela que emana segurança e zelo,
Que se prende ao acaso, e ao medo que lhe seduz,
Da luz que tem cor, e possui nome, da consciência e da perícia,
Aos detalhes se mortificando, e modificando o que lhe conduz,
Apenas pensar e persistir, no azul da sua caricia.

E para o maravilhoso resultado, a soma
Das luzes que nos conduziram até então,
Do vermelho coração, à crista do amor,
Do azul zeloso, à conservação dessa paixão,
Ao lilás, da soma, a ausência de toda dor.
André Felipe Ynouye
Enviado por André Felipe Ynouye em 30/10/2007
Código do texto: T716213

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (André Felipe Ynouye). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
André Felipe Ynouye
São Paulo - São Paulo - Brasil, 31 anos
6 textos (269 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 08:19)
André Felipe Ynouye