Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quarto escuro

“...
Calmamente abre os olhos. Inutilmente, pois nada se enxerga ali.Sua cabeça dói. Seus lábios.... secos tremem, e seu coração é puro fogo.
Se encontra em um estado meio inconsciente, mas a dor não para e cada vez mais se alastra em seu âmago. Ela o domina, o corrói por dentro, cada lembrança. Cada frase dita que ainda ecoa em sua mente.
E ele entendeu que há certas feridas que não se cicatrizam mesmo com o passar do tempo. Como é perigoso e triste entregar o seu coração a alguém.

As paredes, aquela sala sem entrada e saída, tudo era fruto da sua dor. Construíra aquilo para proteger os outros de sua angústia, ou seria para ele mesmo se proteger?

Foi nesta paisagem de intensa agonia e lamentações que ela apareceu. Não se sabe como, mas naquela sala onde nada entrava ou saía, agora dava espaço a tão bela criatura.

Foi-se aproximando aos poucos, deixando a mostra sua peculiar beleza. Com um longo vestido vermelho rubro, de finas alças.Seu cabelo volumoso e belo de cor negra.

“Vim te salvar meu querido, a muito tempo espero por ti... que bom que achei.....”
Foi essas as primeiras palavras que me disse, enquanto se banhava em meu sangue e me acariciava o rosto.

“Você já sangrou muito por ela.... mas agora não mais... pois sou tua mãe, tua irmã... tua amante... você irá sangrar por mim agora...”
...”

(...)
Compostella
Enviado por Compostella em 30/10/2007
Código do texto: T716778
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Compostella
Itaúna - Minas Gerais - Brasil, 30 anos
54 textos (2208 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 05:31)
Compostella