Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OUTRA CANÇÃO D’AMOR

Abrem se as janelas e vê se a chuva cair
Horas de insônia e recordações de brisa
Há noites em que a lua é a única companhia
Mensagens ditas, palavras na boca, sorrir
Vejo-te, suave, em devaneios... Uma musa
Pelas nuvens, escarlate, nua caminha

Abro os olhos e as lágrimas caem sorrateiras
Não há a vida em cascatas, sou de sonhos mudos
Destemperos lúdicos de poesias em fumaça
Jogo os pés limpos no assento da cadeira
Ouço o som das folhas caindo, alto é este muro
Houve um tempo de muito barulho e boa cachaça

Abrimos as portas, vemos um galante futuro
Não, eu nada vejo... Cego, me afogo neste mar
De angústia, prolixo... Bailo a valsa triste absorto
Criança, que ainda sou... Apesar do corpo maduro
Sei melhor escrever, que falar... Falar... Amar
Tenho os braços vazios... Traga-me teu corpo

Abre meu peito, cheio de desejos e calor
Transformo o mofo em luz, ser menino
Outra vez, de amor em dó maior, teus beijos
Brincar sob a chuva, uma canção d’amor
Descalços de preconceitos... Largos carinhos
Sou puro espírito... Louco... Sou crédulo... Desejos.
Vagner Cardoso
Enviado por Vagner Cardoso em 31/10/2007
Código do texto: T717558

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Vagner Cardoso). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vagner Cardoso
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 49 anos
9 textos (218 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 03:47)
Vagner Cardoso