Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Intro

Me esforço para engolir seu olhar
Veleiro sem porto,
Repousa em qualquer norte,
Escorre para além-mar.

Espero
Quando seus olhos alcançam o arco-íris
- e o arco-íris também derrete -
Me borrando de todo o colorido
Pra que seus olhos mastigáveis
Se dissolvam entre meus dentes.

Me esforço para injetar em mim
Toda a sua atenção,
Furacão de filosofia desperdiçada
Por muitos vulcões de frivolidade.
Ter seu pensamento correndo em veias finas,
Como são fragilmente finas as pétalas
Que se perguntam se subsistirão às guerras nucleares

Rogo
À graça que me molde em curvas exatas
E me adorne de colares reluzentes
Para receber sua mente doente
indecente, insolente.
E me conceda cumprimentar sorrindo
O diabo que exorcizo rezando.

Me esforço para tragar a fumaça
da sua inconsistência
E tê-la segura por uma fração de segundos
A ponto de crer, cega, em sua concretude
e textura dócil
Mas desejando- ainda que muito intimamente -
Só fumar essa fulgacidade de fóssil.

Torço
Para não ser eterna jamais
E peço às nuvens que chovam em mim
A força da mutação
Para suportar mansamente qualquer inexatidão
Até que se esvaia em fumaça e névoa
Meu tanto medo de você
expirar
de mim.

Fernanda Lobo
Fernanda Lobo
Enviado por Fernanda Lobo em 01/11/2007
Reeditado em 01/11/2007
Código do texto: T719102

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fernanda Lobo
São Paulo - São Paulo - Brasil
32 textos (5459 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 16:21)
Fernanda Lobo