Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O último amante do Lácio

Hoje não tenho mais sentido
Eu perdi a coesão.
Sou um ser muito ferido
Sem amor no coração.
Eu errei na concordância,
Tropecei na coerência
Percebi um pouco tarde
Teu valor,
Tua existência.

Nunca fui muito zeloso
Muito menos fui romântico.
Muito tolo eu rompi
Nosso elo tão semântico.
Caminhei pelo Barroco,
Visitei o Arcadismo.
Por ser muito Realista,
Esqueci o Romantismo.

Quando estiver mais sóbrio
Lembrarei a última flor
Que com sua simplicidade
Trouxe para mim o amor.
Quero pedir gritando
Que perdoe minha inocência
E falar ao mundo inteiro
Que ela é minha regência.

Na gramática do amor
Sou uma oração sem sujeito,
Sou um verbo com defeito
Que o paralelismo quebrou.
Eu queria que essa fase
Fosse apenas uma vírgula,
Fosse um fato banal,
Mas infelizmente tenho a certeza
De que nossa história
Tem mesmo é um ponto final.
Sérgio Ricardo dos Reis
Enviado por Sérgio Ricardo dos Reis em 05/11/2007
Código do texto: T724505

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sérgio Ricardo dos Reis
Fortaleza - Ceará - Brasil, 31 anos
10 textos (544 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 09:43)
Sérgio Ricardo dos Reis