Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROFUSÃO DE AMORES

 

 


Quando o verso cai

Na profusão de amores

Sós, como vulcão de cores,

Um coração dispara além das dores,

Rumo aos estrépitos da própria alma...





Mais um verso cai, 

Profusamente em calma,

Suplicando amor aos desvarios,

Na dor que se perde, assim, em rios

Tão frios, rumo ao oceano do infinito em chama.



 


Amor, tempestade etérea de versos,

Assim conexos  no ardor que invade

O labirinto do sonho entre os universos, 

Como lápides de afeto, na potestade

De quem somos nos dias já dispersos,

Diluídos entre emoções, vidas e saudade.



 


Amor, brisa infinita que transcende os tempos,

Na cor que grita, na paixão que invade,

Quando um verso cai, voando aos quatro ventos,

De sentimentos como tempestade. 


----

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Juliana Silva Valis
Enviado por Juliana Silva Valis em 05/11/2007
Código do texto: T724993

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Silva Valis
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 33 anos
3973 textos (883669 leituras)
4 e-livros (1863 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 09:41)
Juliana Silva Valis