Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

REGRESSO


Autor: abo
No augúrio que fatalmente
Apossou-se de mim...
Senti que tudo se consumia ao meu redor,
Como a retórica da “tragédia grega”
Sentindo o pulso disparar...
Um quê fatídico... Só onírico, a ilógica, o sonho...
Era o que poderia compreender o que demais se passava em mim,
O metodismo, a irreverência...
O ego autoritário se foi,
Restou a fragilidade, o transitório,
A vulnerabilidade.
Peço-te! Volta, faz meu sol brilhar...
Faz da minha boca soar sorrisos puros,
Meus ouvidos atentarem para o gorjeio das coisas castas...
Sentir meus vasos se encherem de vida,
E me deliciar com o som
Das tuas palavras,
Encontrar-me no estrilo
Ignoto do teu beijo,
Formando o contraste doce da emoção,
Entre a alegria de te reencontrar
E a amargura de ti não me pertencer.





ABO
Enviado por ABO em 25/11/2007
Código do texto: T752768

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ABO
Ariquemes - Rondônia - Brasil
130 textos (4490 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 12:58)