Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Somente palavras

Porque é que me enganas,
Porque é que chamas a mim o que a outra chamas?
Sendo as minhas lágrimas água,
Nada mais viverei para sentir a dor.
Porque tentas calar-me,
Se o meu silêncio é reflectido nos meus olhos,
Que espelham o sofrimento que me adormece?
Nada do que possas dizer poderá fazer esquecer
As tuas palavras, aquelas que pensas dominar,
Que não entendes, mas proferes, sem pensar.
Sou mais do que compreendes
E sinto mais do que entendes…
Se o teu dito fosse sincero
Terias mais do que o meu corpo,
Porque saberia que a minha alma estaria segura,
Terias mais do que a minha mente,
Porque quem sente a verdade não consegue fugir,
Mesmo que seja a sua maior vontade.
E não entendo porque o teu coração sabe a mel
E no teu olhar vejo o fel que me destrói,
Aos poucos, sem saber porque continuo.
Continuo, insegura, pela rua que me amargura.
É arriscada, é escura e assusta-me…
Continuo, revoltada comigo
Porque sei que encontrarei um beco sem saída.
E, mais uma vez, ficarei estendida na rua,
Sem ajuda, sem guarida.
Serei mais um pedaço de chão,
Nada mais que um pouco de terra molhada
Que agrada a quem passa,
E da qual as pessoas se apartam.

30 de Novembro de 2007
Vera Lorena
Enviado por Vera Lorena em 01/12/2007
Código do texto: T760108

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vera Lorena
Portugal
31 textos (931 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 10:10)
Vera Lorena