Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BELA DA MANHÃ



BELA DA MANHÃ
 
Reabri meus olhos tantas vezes
Despertando em cio e desejo
Meu corpo saciado doía
Em vão mais um amante fugia
Entre os meus dedos febris
Os sapatos de cristais apertados
As roupas jogadas
No chão vadio
A alma pedra vazia
 
Desmoronando castelos das cartas
Do jogo da dama perdida
Lavava o rosto a vergonha
No arrastar dos dias
Acordada aguada me proibia
Olhares de cobiça
Deleites e beijos ardentes
Apertando os seios para estar viva
No calor só de mim mesma
Os pelos lisos e penteados
Esperando a hora de enlouquecer
Na solidão no leito e peito
Olhos cerrados quase eu fenecia
No sonhar dos beijos de posse
De o suor escorrer no quente do afago
Os espíritos tremulando
Tua boca despertando a minha carne
Tuas garras arranhando meu dorso
Nos gritos e quarto abafados
Balançando nus na passagem das horas
Sendo a bela da tarde entardecendo
Sendo a bela adormecida
Morrendo frágil entre teus braços
Anoitecendo... Amanhecendo
No sol que arde
A pomba arrulhando
Lá fora...
 
                       Cíntia Thomé

Faz parte do livro da autora Cíntia Thomé - OLHOS DE FOLHA MINHA
pela livraria Saraiva


direitos já registrados.
Cíntia Thomé
Enviado por Cíntia Thomé em 01/12/2007
Reeditado em 02/06/2008
Código do texto: T760302

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cíntia Thomé
Campinas - São Paulo - Brasil
206 textos (10271 leituras)
56 áudios (3883 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 17:51)
Cíntia Thomé