Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema da Minha Face (Ao bruxo Drummond)

Quando quis navegar nas ruas desertas
das franzinas faces decorrentes
Um anjo desse que vivem na minha sombra, disse:
"Vai Carlos! Ser Gauche na Vida!"

Talvez as minhas casas espiassem alguma coisa
até que toda tarde possuisse a mesma cor
Mas corro atrás de mim mesmo!
Atrás de tanto desejo e culpa

Com os ventos matinais passando, nem consigo senti-los
pois são vários sentimentos!
Eu queria vê-los, mas não os obtenho
Para quê tanto brilho se não posso possui-los?

Mas consigo maquiar a minha face recôndita
de medo, frustração e pena
Existe algo além desta face possuidora de falhas
Existe vida através de minhas falhas

Como pude me perder em mim mesmo?
Abandonei as minhas esperanças na face marcada
Mas a lua que nasce sem medo de errar
passa o dia, simples

Continua a vida, a colheita, a busca
Na face severina da vida, Raimundo!
Sou Carlos, Gauche de morte e de vida!
Como solução do vasto mundo que simplifica o meu coração.

09-01-2006
iuRy
Enviado por iuRy em 12/03/2006
Código do texto: T122019
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
iuRy
Olinda - Pernambuco - Brasil, 28 anos
71 textos (1342 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 17:54)
iuRy