Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Adeus Avô

Por quantas vezes, tu,
Quiseste partir...
Até que, num rápido esgueiro,
Conseguiste, de nós, fugir...
Agora, que não podemos te ver,
Nos resta apenas a tua imagem,
Sabendo que, neste momento,
Repousas noutra paisagem.
E sabendo que o que sentimos neste instante,
Aos poucos, por ti mesmo, é amenizado...
Com a lembrança de tua expressão tranqüila
Que, em teu rosto foi estampado;
E, ao perceber que estavas livre,
Pois a morte que te levou
Havia te salvado.

Descanse em paz!

Leia tb "Adeus avózinha" de 29/12/2006
http://www.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=140115
»»Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.
»»Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil.
»»para reeenvia-la mencione o Autor
Apenas um Poeta
Enviado por Apenas um Poeta em 16/04/2006
Reeditado em 01/01/2007
Código do texto: T140115

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Apenas um Poeta
Angola, 43 anos
139 textos (17314 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:14)
Apenas um Poeta