Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto




Dos Versos, das Rimas... Ah, Poetisa...


Dos versos revelei minhas dores
Das rimas somei meu relato
Desnudei meus doces odores
Perdas e ganhos... Tantos amores!

Poetisa de todas as cores!
Camaleônica de olhar inquieto
Amo-te virgem por entre flores
Amo-te impura, nua, meretriz... O que fores!

Dona do amor nas absorventes paixões
Sempre em tuas mãos, o objeto secreto!
Armas e ardis, explosões, ilusões!
Habitas nos sonhos! Flor de luz estelar!

Surges deslumbrada! Teus versos do nada.

De repente, ah, de repente forma a poesia...
Tens inspirações p’ra acalmar a luz do dia
Asas p’ra aquecer a noite fria.

Almas iguais a ti, doce poetisa;
Mulher de valores acolhendo teus amores
Tens amor de imantados primores... Cativa...
Tua sina... Versos raros à ti, Merecida.


31/08/05
LuliCoutinho
Enviado por LuliCoutinho em 03/09/2005
Reeditado em 14/08/2007
Código do texto: T47205
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
LuliCoutinho
São Paulo - São Paulo - Brasil
863 textos (158639 leituras)
2 áudios (428 audições)
7 e-livros (1313 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 23:18)
LuliCoutinho