Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Adeus mãe!

Hoje faz 16 anos que minha mãe se foi. Ficou encantada, como diz Guimarães Rosas. Decidi publicar hoje esta poesia que fiz em 1995, quatro anos depois de sua morte:

ADEUS MÃE


Adeus mãe, ou até breve.
Me diz a fé que um dia
sereno e leve,
como a brisa de verão,
nos encontraremos.
Mudas,
no silêncio da compreensão,
nos abraçaremos.
Será tão bom.
Sem sofrimento, nem dor;
sem o peso do corpo humano,
sem os grilhões da fraqueza,
sem dúvidas ou incerteza,
sem desculpa ou perdão.
Tudo será tão simples.
O conhecimento total das almas.
A inocência das carícias calmas.
A paciência de esperar e,
então,
a plenitude do infinito
em nossa mão.




Gilda Porto
Enviado por Gilda Porto em 19/09/2007
Código do texto: T659604
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gilda Porto
Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil
131 textos (16767 leituras)
1 e-livros (151 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 21:19)
Gilda Porto