Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto






As notícias de ontem foram engolidas

Pelo manto eterno e negro,

Devoradas pela chama das estrelas

E o vento mudou de rumo

Levando as nuvens carregadas

De estupor, nostalgia e desespero.

Hoje, mal o sol floriu o céu,

Abri  janelas , descerrei cortinas

E cantei com as avezinhas!

Chovera e as pedras da rua

Estavam brilhantes e limpas.

As beatas passavam compostas,

Os velhos jogavam às cartas,

Os meninos corriam nas bicicletas,

E os namorados passeavam de mãos dadas



Uma doçura inaudita paira e afaga

Num abraço que eleva e mitiga

Até escutarmos outras notícias

Falando de miséria e ruína...


Façamos de conta que só existe o agora!


Sorvamos a hora que passa

Sabendo quanto é transitória

Desoprimemos a alma

Esquecendo os espinhos em riste

Entre as folhas da roseira

E olhemos com enlevo

As pétalas que vão abrindo

Ainda brilhantes de orvalho



Carpe diem!



Lisboa, 10/9/2005
Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 10/09/2005
Reeditado em 22/05/2007
Código do texto: T49365
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Maria Petronilho
Almada - Setúbal - Portugal, 64 anos
1238 textos (130529 leituras)
60 áudios (14347 audições)
9 e-livros (5156 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:31)
Maria Petronilho

Site do Escritor