Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um canto de saudade

Poesia

Um canto de saudade

A sinfonia do vento
Nas folhas das palmeiras
Que me alegrava os dias
Naquelas tardes fagueiras
É hoje um triste lamento.
Via o rio cantar uma canção
E levar suas águas cristalinas
Tão distantes da poluição
E da usura que corrói e aniquila
Que mata o espírito e o coração.
Hoje me ponho a pensar
Sentada à beira do mesmo rio...
A voz do vento é um chorar tristonho
Que faz meu coração tão vazio
Buscar a melodia no sonho.
É que o rio agora é um riacho
Quase morto, que corre lentamente...
Deixando, assim, no meu coração
A saudade que fez brotar como a semente
Tristeza, revolta e muita desolação.
Onde ficaram as águas límpidas
Em que nas manhãs e tardes de sol
Moças bonitas iam-se banhar
E exibiam seus corpos no arrebol
Numa canção para amar e sonhar?
Onde ficou o sorriso de minh’alma
Que vive vazia e a lamentar
E que só vê naquelas turvas águas
A negrura que abala a calma
E a solidão que aumenta as mágoas?
A morte do rio – resultado da ambição
Do homem moderno e do progresso
Traz problemas que mais tarde serão
O mal e a degradação do universo
Desse mesmo homem da automação.







 


 






Mena
Enviado por Mena em 18/08/2006
Reeditado em 18/08/2006
Código do texto: T219753

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mena
Brumado - Bahia - Brasil
539 textos (113469 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:29)
Mena