Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A SAUDADE AINDA MATA...

Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói.
Torcer o tornozelo dói.
Um tapa, um soco, um pontapé, dóem.
Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua.
Dói cólica, cárie e pedra no rim.

Mas o que mais dói é Saudade.
Saudade de um irmão que mora longe.
Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade de um parente que já morreu.
Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu.
Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, o tempo não perdoa.

Dóem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá.
Você podia ir para o escritório e ela para o dentista, mas sabiam-se onde.
Você podia ficar sem vê-la, ela o dia todo sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.

Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra a saudade que ninguém sabe deter.
Saudade é não saber.
Não saber mais se ele continua se gripando no inverno.
Não saber mais se ela continua cortando e pintando o cabelo.
Não saber se ele ainda usa a camiseta que você deu.
Não saber se ela foi a consulta médica como prometeu.

Não saber se ele tem comido pizza, se ela tem jogado tenis,
se ele continua fumando, se ela aprendreu a entrar na Internet,
se ele continua preferindo Pepsi, se ela continua sorrindo,
se continua dançando.
Se continua lhe amando...

Saudade é não saber.
Não saber o que fazer com os dias que ficaram compridos demais,
não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento,
não saber como frear as lágrimas diante de uma música,
não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Saudade é não querer saber se ele está com outra,e ao mesmo tempo querer.
É não querer saber se ela está feliz, e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim, doer ...
Rosana Barbosa
Enviado por Rosana Barbosa em 12/09/2007
Código do texto: T649503
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosana Barbosa
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 27 anos
53 textos (6940 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 04:02)
Rosana Barbosa