Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Frevo da Saudade em Outubro

Saio pelas ruas do Recife
Em pleno calor arrebatado de Outubro
Como um Pierrot bêbado e vagabundo,
Chorando de saudade
Por entre as pontes da cidade,
Os beijos da sua Colombina.

E ele grita:

- Onde estarás tu, tão singela e linda,
Com teus dois olhos verdes e duas ilhas desertas
Como pontos escondidos e escuros,
Nos quais as águas do mar seriam poucas
A encher calabouços tão profundos?
 
Dizei-me, Colombina,
Voltarás no próximo Carnaval,
E só beijarei então tua boca,
Por entre as ladeiras de Olinda?

Quando, Colombina, ou onde?

Aqui em Recife ou em cidade distante?
Nas madrugadas pelas ruas planas
Ou na subida d'alguma das pontes?

Dizei-me, Colombina,
Virás agora no fim do dia
Ou na próxima semana?

Enquanto isso eu fico pelas ruas do Recife
Em pleno calor arrebatado de Outubro
Como um Pierrot bêbado e vagabundo
Cantando desafinado o Frevo da Saudade.
André Espínola
Enviado por André Espínola em 15/10/2007
Código do texto: T695642

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
André Espínola
Recife - Pernambuco - Brasil, 32 anos
247 textos (12437 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 11:00)
André Espínola