Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Delirante
Saudade
Que mata aos poucos
Os pensamentos
Que voam
Antes eram
Para ti
E agora
Voam sem direção
E o coração
Que batia alegre
Ao te ver
E ficava descompassado
E mais louco
Por você
agora bate
Tão devagar
Estando quase
A parar
E sem razão
Ou motivo
Para bater
E quase parando
Já sem vontade
De viver
A noite vazia
E já sem estrelas
Sem brilho
Só à noite
Em sombras
E trevas
Estas mesmas noites
Que um dia
Receberam
Tanta luz
Que quase
Extinguiram as sombras
Ah falta
E a carência
E a saudade
Que já se faz
E o frio
Da ausência
Que já congela
O próprio inferno
Os instantes
Que antes
Eram
Um só momento
E que agora
Perduram
E duram
Uma eternidade
Nesta saudade
Que não acaba
jamais
Sal Eterno Aprendiz
Enviado por Sal Eterno Aprendiz em 23/11/2007
Reeditado em 23/11/2007
Código do texto: T749233

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sal Eterno Aprendiz
São Paulo - São Paulo - Brasil
550 textos (32432 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 03:06)
Sal Eterno Aprendiz