Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Humilhação

Quero ir-me embora
Dessa sala fúnebre,
Que exala odores desgostosos,
De ingratidão e ódio,
Esse meu.

A depressão cava-me os órgãos.
Gostou particularmente de um,
Que bate cada vez menos,
A cada pá fincada.

Lágrimas secas não caem mais.
Mas a dor não para de gotejar.
Sem parar, a agonia agoniza,
Mas não morre.

O amarelo-enxofre nos dentes,
Esqueléticos,
Podres, mas não decompostos.

O coração não mais se vê.
Desapareceu em meio aos vermes
-Amigos-.
A chaga que causaram, cicatrizei.

O cigarro, companheiro,
Conspira como tal.
A espada que segura,
Sangra o Meu sangue,
que me insegura.
Pedro Batalha
Enviado por Pedro Batalha em 28/01/2006
Código do texto: T105157
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Batalha
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 29 anos
10 textos (638 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:56)
Pedro Batalha