Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

GÊNESE

Minha poesia
Nasce
Sôfrega, quase moribunda
Escorregando pelas rachaduras
Do meu coração.

Viajando por nervos
Em frangalhos,
Indo parar
Nos dedos,
Trêmulos, medrosos.

Caindo dos olhos
Como lágrimas,
Desenhando um semblante
amargurado
Sob a máscara
Do poeta.

Que, como o ourives,
Tenta limar sua poesia
Até a perfeição.

Cada poesia
É parte do homem;
São os tijolos
Da casa
Onde a dor
Montou pousada.
Gustavo Marinho
Enviado por Gustavo Marinho em 29/01/2006
Código do texto: T105435
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gustavo Marinho
Maceió - Alagoas - Brasil, 40 anos
82 textos (9806 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:41)
Gustavo Marinho