Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bicho da conta

Relutante
Assustada
Trémula e seduzida pelos tons cinzas que me cobrem os versos
Os olhos
Este manto por inteiro que vagueia a alma...
Estou naqueles dias,
naqueles dias que me assemelho a um bicho da conta.
Que caminho vagarosamente entre os passos brutos que passam ao lado.
Envelheço...
Porque não estás?
Quando me sinto  em estradas de solidão?
De mãos dadas com o vazio...
E que vazio!
Um  buraco negro aonde caímos quando não ainda não tínhamos dado conta
Da queda íngreme, abrupta e dolorosa...
Sem razões, dirias tu!
Mas que percebes tu de razão e coração
Que entendes tu do desequilíbrio
Da insanidade perfeita ou não
da apatia que me entrego tantas vezes.
das náuseas dos momentos incolores
das paredes e dos meus rascunhos?!
Nada!
E hoje o céu está tão chuvoso
Tão cinzento
Tantas lágrimas derramadas à força da tempestade...
E tu não dás por isso,
Porque o que me resta é tão pequenino...
Hoje sou um bichinho de conta.
Joana Sousa Freitas
Enviado por Joana Sousa Freitas em 06/04/2006
Código do texto: T134682
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Joana Sousa Freitas
Portugal, 40 anos
118 textos (7239 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:39)
Joana Sousa Freitas