Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NÃO POSSO MAIS NEGAR...AMO VOCÊ

Hoje eu me entreguei a outro corpo
na esperança de esquecer o seu
me fiz de vítima,
me coloquei,
chorei,
agradeci,
tudo na esperança de esquecer seu rosto.

Mas agora que tudo passou,
percebo o quanto te amo e
o quanto escondi isso de mim nos últimos tempos.

Percebo o quanto te amei desde o primeiro beijo,
o quanto te quis desesperadamente desde o primeiro toque
e o quanto me senti fria quando toquei outra pele.
Percebo quanto me enganei dizendo que estava terminando,
o quanto escondi o que realmente sinto por você.

Eu te amo,
não poso negar isso pra mim mesma.
Eu te amo,
e assumir isso é tão difícil
porque digo pra mim que ainda vai ser pra sempre
seu nome,
sempre que eu quiser me enganar com outra pessoa,
sempre que eu beijar outra boca,
sempre que eu tentar pensar em outro alguém que não seja você
eu vou lembrar dos seus olhos,
e do quanto eu amo o seu beijo.
Do quanto eu amo o seu toque.

Minha garganta dói,
enquanto o gosto de sangue jorra na minha boca,
enquanto sinto meu peito ardendo em dor,
enquanto soco a parede na intenção de fazer seu gosto sair de mim.

Agora olho suas fotos,
bêbada como estou,
caquética,
insóbria,
insólita.
Não sinto nada que não venha do seu nome.

Preciso exorcizar esse seu sorriso,
que me fere,
apesar dele ser tão vivo,
claro,
calmo,
lindo...
Preciso exorcizar isso que tenho aqui dentro,
essa sua presença,
essa sua falta...
Eu te amo tanto,
não posso mais disfarçar,
a quem eu quero enganar quando digo que tudo acabou,
quando digo que sua voz não é nada além de um zumbido
se a todo instante seu nome brota na minha boca,
na minha mente?

Mergulho nisso de um jeito que me perco,
me afogo,
sinto a água entrando pelos meus poros,
pelo meu nariz,
minha boca...
Amo você,
como posso continuar negando isso,
se você já é parte da minha carne,
parte do meu corpo,
da minha essência,
do meu ser?

Você,
eu,
meu ser é seu,
você o tem para fazer o que quiser.
Me toma pra você,
me leva,
me cura,
me guia,
você é o que eu preciso,
é o meu porto,
meu ponto final,
meu fim,
onde amanheço,
adormeço,
vivo
morro.



                       
Diana Marques
Enviado por Diana Marques em 30/04/2006
Reeditado em 01/05/2006
Código do texto: T148124
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Diana Marques
Guara I - Distrito Federal - Brasil, 32 anos
22 textos (909 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 01:58)
Diana Marques