Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SILÊNCIO DEVASTADOR




Hoje o silêncio gritante
Habitou o meu interior
Senti seu toque sorrateiro
Quebrando tudo em mim
E nesse silêncio estável
Encontrei algo desejado
Não era a paz
Mas sim uma anestesia
Para as desavenças silenciosas do meu coração putrefato
Nesse instante de calmaria minha alma vagou
Numa sinestesia atormentadora
Porém, sem o ressonar do pranto que cai ao chão
O delírio abre meus olhos
Para as palavras já esquecidas
Que ficaram ecoando escondidas
Como no dia em que a escuridão calou-me
O silencio devastador é o responsável
Pela condição inerente desse torpor
Às vezes ele machuca
Às vezes ele assola a voz da alma
Tiago Quingosta
Enviado por Tiago Quingosta em 02/06/2006
Código do texto: T168074
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tiago Quingosta
Macapá - Amapá - Brasil, 29 anos
56 textos (1405 leituras)
2 e-livros (32 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:04)
Tiago Quingosta