Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Despertar de uma chaga

Despertar de uma chaga
Abri meus olhos, a pouca luz daquela manhã nublada penetrou em meus olhos como agulhas incandescentes.
Estava bem frio me sentia atordoado com os pensamentos que me passavam pela mente, e sentia uma dor incômoda do lado esquerdo do peito, passei minha mão direita sobre o peito e percebia que estava sangrando e que o sangue tinha ensopado meu sobretudo e minha negra camisa.
Levantei do gramado, dois de meus alados guardiões uivavam e olhavam para mim com seus grandes olhos vermelhos, suas grandes cabeças de cão expressavam fidelidade e preocupação com meu estado deplorável.
Estendi minhas grandiosas e graciosas asas, e meu peito sangrava, um sangue escarlate saia de dentro dos meus latentes sentimentos e perfazia em meu peito.
Um estado de fragilidade, assim, me encontrava.
Meu grande exército grasnia de ódio, minha situação deixava-os desesperados pois aquele líder que foi capaz de conquistar inimagináveis triunfos, deixou que aquela Serafim atravessasse seu coração.
Sabia que aquela esplendorosa forma angelical iria em algum momento me atacar.
Minha legião, meus mais fiéis e poderosos guerreiros em um tempo menor que a velocidade do pensamento poderiam ter arrancado a cabeça dela, mas de joelho decide que daquela forma seria a única maneira dela entender o que é o amor.
Mesmo assim, esse Serafim não foi capaz de evoluir, agora sinto a cada gota desse incandescente sangue que brota da ferida aberta pela lâmina daquela que foi banhada pelo cálice sagrado.
Tanto poder que quase estraçalhou meu ser, e nem se deu conta que é tão evidente que depois de mim, todos ou o isolamento sempre vai fazer se lembrar que esta tentando constantemente fugir de si mesma.
No fim de todo o tempo, e sempre quando chegar o fim da luz do dia esse Serafim usará a lâmina. Ela desembainhará seu sabre e o colocará em seu ventre e de joelhos usará todas suas forças para atravessar e dilacerar a si própria para descansar eternamente durante a escuridão da noite.
  Ao amanhecer sua lâmina assim como seus pensamentos que desapareceram durante seu sono eterno deixou seu ventre, e seus pensamentos voltaram a existir para sua perpetua agonia.
Esse Serafim estará pronto para agonizar mais um eterno dia, fugindo de si mesmo.
Thiago Fabiano
Enviado por Thiago Fabiano em 15/07/2006
Código do texto: T194628
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Thiago Fabiano
Goiânia - Goiás - Brasil, 31 anos
1 textos (17 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 00:21)