Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Terapia

Poetas e poetisas, atenção!
Estou devendo uma explicação.
Entrei no Recanto há dez dias,
logo comecei a fazer poesias.

Descobri muita gente neste canto,
sempre solidária ao meu pranto,
com palavras de carinho e conforto,
diante da minha tristeza e desgosto.

Nunca fiz poesia , aviso diantemão,
até ser atacado por uma tal solidão.
(O vírus me pegou, que ousadia!)
Passei a fazer versos como terapia.

O bicho é por demais perigoso,
deixa qualquer um bem nervoso.
Dói o coração - problemas demais,
e ainda traz os efeitos colaterais.

O cabra então fica muito abalado,
começa a ficar sonhando acordado.
E para complicar vem a saudade,
trazendo consigo a ansiedade.

Felizmente meu caso não é tão grave,
não chega a ser um grande entrave.
Sei que nem é preciso fazer uma prece,
esperando um pouco, a musa aparece.

Fazer poesia é uma auto-medicação,
e com certeza, sem contra-indicação.
Quem sabe continue, mesmo curado.
De tanto fazer versos, fiquei viciado.
Andrade Pinto
Enviado por Andrade Pinto em 09/09/2006
Reeditado em 08/12/2006
Código do texto: T236293
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Andrade Pinto
Salvador - Bahia - Brasil, 64 anos
38 textos (4123 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 04:12)