Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Da morte não sei o dia...

Há o instante de chegada
e o momento da pertida.
Quanta vida eu já vivi?
Quabta resta a ser vivida?

São dois espelhos quebrados,
dois vezes sete de má sorte.
Já vivi quatorze anos,
quanto resta para a morte?

É fácil vê-la chegando
em cada instante que passe,
pois se começa a morrer
no momento em que se nasce.

Vou caminhando para a morte,
não decidi o meu nascer.
Da morte não sei o dia,
mas eu posso saber!
Ninha
Enviado por Ninha em 20/09/2006
Código do texto: T245258
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ninha
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
11 textos (443 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 10:10)
Ninha