Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Esperanças silenciosas

Ó, tão próxima! Ó, tão dista!
A flor-de-encanto bem-quista.

Olhai-me: meu pensamento escondido chora!
Beijai-me: meu ressequido langor implora!

Cativo estou da tua suave nobreza;
prisioneiro sou de tua delicada beleza.

Mas ainda que enfeixem-se em ramas os elogios,
temo não te alcançarem, como desviados rios...

Ai, que jamais este segredo será rompido!
Ai, porque jamais teu coração me terá ouvido...
ErlKoenigKunstler
Enviado por ErlKoenigKunstler em 07/10/2006
Código do texto: T258207

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (João Carlos do Carmo Guimarães, www.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ErlKoenigKunstler
Santo André - São Paulo - Brasil
74 textos (3067 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:25)
ErlKoenigKunstler