Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Calcanhar

Desalento é minha pele
Lágrimas são minhas flores
Nenhuma dor me fere
Quanto ter tantos desamores

Tombo na desilusão
Nem ouso erguer os pés
Quero os espinhos!
Quero os abrolhos!

Sou maldito... sem flerte
Podia amar-te sem ver-te
E tu quebrastes meu calcanhar
Ousou meu coração despedaçar

Sim, sangro em desvario
Triste sina de um rio
Dar boas lembranças
E adormecer solitário
Feito eu, este desiludido:
desgraçado!
Humberto Amorim
Enviado por Humberto Amorim em 24/10/2006
Código do texto: T272731

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Humberto Amorim
Euclides da Cunha - Bahia - Brasil
55 textos (1935 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 13:16)
Humberto Amorim