Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Horas Macilentas

HORAS MACILENTAS
Quem saberá, incautos e libertinos,
Destas horas dormentes,
Em que se trafega no obscurecer da vida?
Pelas escusas vias da solidão material,
Muitos devoram as próprias mãos...
E sequer se espera a hora crua e triste
Das cinco da tarde,
Para que se enxote dos seres
Toda e qualquer sombria dignidade.
Hoje são gerações que se desprendem
Num grito abafado pela violência do rádio,
De seu pensar e de seu viver.
Sobrevivem, sem adornos,
Em horas macilentamente doentes,
Sua dormente desigualdade vitimada.
Enquanto estes se levantam,
Aqueles há que sequer deitaram-se
Na fúnebre esperança de seu salário.
Retornam, sem entender o porquê,
Às suas cavernas isoladas
Onde o pão é raro e a seca carne
Foi infalivelmente minimizada.
E são tantos os rostos a trafegar
A vegetar, a aguardar...
Quem sequer poderia imaginar,
Lúbricos,
Que neste dias vespertinos
O Homem devoraria o Homem?
Por entre os gigantes vorazes
As pequenas ovelhas cobaias vêm
E são as sombras delas que as levam,
Pois seus ossos desnudos
Não são mais o relógio cartesiano da perfeição.
Elas vêm lamber impudicamente
Os pés da opressão,
Pastando caladamente
Suas misérias e doenças.
Dormindo ignorantes de sua coletividade,
Seguem sem saber aos fornos
Da nova Inquisição,
Promovida de forma ignominiosa
Nos porões e nos salões
Da memória Capital (lista?).
Assim,
Palidamente vão-se as horas,
Dos que nada tem e fingem
No seu vazio de átomos,
A consistência úmida e insegura
De um mero resquício de consciência.

                      Jaqueline L.    
A Mitônama
Enviado por A Mitônama em 11/11/2006
Código do texto: T288158

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Jaqueline Lazzaron). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
A Mitônama
Cascavel - Paraná - Brasil, 40 anos
3 textos (212 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:40)
A Mitônama