Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pés virados

Um túnel, um fluxo
Rostos sem rostos seguindo avante
Um minúsculo ponto trafega ao contrário
Contrário ao caminho que devia seguir.

Não há amargura, nem rancor
Existe um desejo de simplicidade e alegria
No caminho rodando ao contrário
Daquele minúsculo ponto que vai negando o fluxo.

Ele gosta de andar ao contrário
Mas não coloca culpa no fluxo, nem em quem o segue
Apenas começou a andar ao contrário
Porque gostava do que via do outro lado.

Uma epopéia, um sonho
No fundo, torciam por ele
Todos os que seguiam o fluxo
Gostariam de saber aonde andar ao contrário levava.

E foi subindo, e foi andando
Olhando firme para o intangível objetivo
E foi chegando tão longe!
Quando seu fôlego começou a esmorecer.

E parou, e descançou
Olhou para cima e para baixo
Notou nas estranhas roupas que vestia
E no que vestiam os que andavam no fluxo.

Ficou parado no remanso
De um lado para o outro a investigar
Não notou aquele minúsculo ponto
Quando junto com o fluxo começou a navegar.

Desfez-se a incrível epopéia
E sumiu aquela pequena esperança
Derreteu o agito que se fazia
Quando um minúsculo ponto andava ao contrário.

Ficaram sem saber todos
Aonde aquilo ia dar
Mas ninguém chorou por ele, nem ele!
Por ter se deixado levar.
Regis Camimura
Enviado por Regis Camimura em 02/12/2006
Código do texto: T307531

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (inclua o e-mail para contato (regis@w3gate.org)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Regis Camimura
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 35 anos
21 textos (4381 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 04:45)