Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BRIGAS E DESILUSÃO

ESTRANHA ESTRADA QUE ANDO AGORA
ESCOLHA ERRADA, EU PRESUMO
PENSO EM VOLTAR? SUMIR, IR EMBORA
SEM CULPA NESSE ERRO HUMANO.
MAS NÃO HÁ RETORNO NO CAMINHO
RIO NÃO MUDA DE DIREÇÃO,
É FOGO, BRASA, QUEIMOR, CRESTAÇÃO.
SEGUI O AMOR
ESCOLTADO PELO DESEJO CÃO
E ME DEPAREI COM VOCÊ.
PASSASTE A SER MEUS SENTIDOS
LÁGRIMA, GOZO, VONTADE E CORAÇÃO
E DE REPENTE,
A LUA DE ATRO SE PINTOU
PRETO E CINZA NO ORBE, IMPOSTA!
É DOR DE DESILUSÃO...
QUER CONFORTO?, ME CONFORTA!
OH! LEVEZA QUERIDA
DOS QUE VIVEM EM PAZ.
NÃO É BOM TER, QUERER E SER FELIZ?!
EU DIZIA TENTE, VEJA COMO FIZ.
SE TENTAR É QUERER, EU QUIS.
Celso Filho
Enviado por Celso Filho em 04/09/2007
Reeditado em 01/10/2007
Código do texto: T637891

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Celso Albetro da fonseca Filho). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Celso Filho
Salvador - Bahia - Brasil, 40 anos
23 textos (826 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 09:25)
Celso Filho