Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pensamento Noturno II

Em meio e um céu escuro e avermelhado pelo sangue dos que sacrificaram suas vidas por grandes amores, minha alma chora pesares de grandes dores.
Muitas almas aqui passeiam entre lapídes e criptas, muitos aqui dormem seu sono eterno; entre cruzes e flores mortas estou remoendo-me e entrado cada vez mais fundo no mar de minha solidão.
Ao meu lado posso apreciar a “cidade dos mortos”, não ouço o barulho de pessoas, apenas o silencio daqueles que já não podem falar.
Os espíritos da noite estão vendo eu me afogar nos tormentos de minha alma, estou perdido num labirinto de ilusões do qual não consigo encontrar saída.
As pessoas estão a festejar enquanto, talvez alguns como eu que não conseguem fugir de sua própria prisão sem muros nem grades, apenas vivem na esperança de que a morte chegue para poderem libertar-se; ou então criam novas ilusões e esperanças, e em cima levam suas pobres vidas sem preocupar-se com o gosto amargo da desilusão que sabem que irão provar. E quando provam deste gosto amargo e estonteante vão perdendo-se aos poucos e morrem envenenados com sua própria solidão...
 

Mero mortal
Enviado por Mero mortal em 29/10/2005
Reeditado em 29/10/2005
Código do texto: T64875

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cleber Fabiano dos Santos..... Mero Mortal). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mero mortal
Palmital - São Paulo - Brasil, 32 anos
8 textos (514 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 08:40)
Mero mortal