Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PELAS MÃOS DO ACASO
Juliana Valis



O tempo sempre escorre pelas mãos do acaso,

Enquanto o céu procura a dimensão da luz,

E o coração, no pranto tão soturno e raso,

Já não sabe o canto que essa vida induz...




Pois a emoção é chama muito além de nós,

No céu que nos declama a vastidão de tudo,

Pelas mãos do tempo, nesses versos sós,

Assim, dispersos, no meu grito mudo !




Ah, infinito sonho muito além da dor,

Onde haverá estrela que possa me guiar,

Muito além de mim, no que houver de amor,

E no que houver de fim no ápice do mar ?



O tempo sempre escorre em tudo o que existe,

Enquanto o verbo morre declamando a dor,

E nossa alma simples, vulnerável, triste,

Sem calma, pede o mais sublime amor !



----


Juliana Silva Valis
Enviado por Juliana Silva Valis em 14/09/2007
Reeditado em 14/09/2007
Código do texto: T652931

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Juliana Silva Valis
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 33 anos
3973 textos (881589 leituras)
4 e-livros (1863 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 13:13)
Juliana Silva Valis