Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Versos tortos

Vou me embora desta terra
Já deu tudo que tinha que dar
As plantas já não crescem
Nada é verde no pomar

Vou me embora desta terra
Não aguento mais chorar
Ver o pasto sem crescer
Por faltar água pra molhar

Vou me embora desta terra
Só que quero é descansar
Numa rede, água-de-coco
Uma linda vista para o mar

Vou me embroa desta terra
Não aguento mais tristeza
Vou prá lá, talvez encontre
A felicidade escondida de mim pelo destino
Que foge às mãos do homem inculto nordestino

Vou me embroa desta terra
Não deixarei nenhuma carta
Não deixarei herança, nem descendência
Não deixarei meu amor, pois ele só meu é
Não deixarei minha dor, pois só a mim ela quer

Vou me embroa desta terra
Mas me canso destes versos
Repetitivos e cansativos
Onde busco as forças que preciso
Mas não acho qualquer abrigo

Vou me embora desta terra
Já não posso mais esperar
Espero um dia poder voltar
Mas, agora sim é verdade
Tudo que sempre temi, realidade

Vou me embora desta terra
Fazer fortuna na capital
Talvez numa outra vida eu volte
Talvez volte num outro carnaval
João Cláudio
Enviado por João Cláudio em 24/10/2007
Reeditado em 24/10/2007
Código do texto: T707305

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor, se possível, alguns dados relevantes sobre o mesmo, e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
João Cláudio
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 27 anos
6 textos (180 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 19:02)
João Cláudio