Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pedaços

Deveria ser eu também poeta das dores,
São elas freqüentes amigas insanas
Despertando tristezas antigas em minhas poesias

Quisera eu ser Poeta da Alegria
Mas só pude ser às vezes
Vezes que fui
Vezes que fiz que fui
Vezes e vezes...

Alegria, nobre ideal!
Mas, se chora a alma, de onde virão os risos inspiradores?

Colorir com vivazes cores
O horizonte sombrio de tantas almas cinzentas
Sempre foi motivação das minhas linhas
Mas, como fugir, se por todos os lados, me perseguiam também as sombras?!

Imaginava olhos vorazes
Percorrendo as letras, palavras, frases, versos
Enquanto ia brotando o brilho em suas faces
Até desabrocharem jardins de risos...
Alento!

Essa era a poesia que sonhei escrever
Mas não pude.
Não posso ocultar nem de mim mesma as dores que fazem hoje
Percorrerem por estes traços
Meus olhos encharcados de lágrimas que embaçam minhas vistas....

Por essas linhas tristonhas vou deixando,
Não alento a alguém
Mas, pedaços do meu próprio coração dilacerado em dores...



Loba Luares Líricos
Enviado por Loba Luares Líricos em 29/10/2007
Reeditado em 25/10/2010
Código do texto: T715206

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Loba Luares Líricos
Ponta Grossa - Paraná - Brasil
32 textos (2162 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 11:51)
Loba Luares Líricos