Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Olhos cheios

O que resta de uma infancia sao os olhos cheios,
Nas cores onde o tempo nada pode encontrar.
Quando passava as aguas claras em dedos alheios
Molhavam-se os labios secos e os rostos palidos de mar.

Foram nessas aguas onde eu aprendi a nadar,
Agua impura de peixes, de areia arrugada,
De desenhados mapas, onde nunca pude encontrar
O caminho que me levara a casa indicada.

Tudo se foi como um relampago claro na escuridao
Dos olhos, dos peitos, da vaga lembrança,
Onde nada nem ninguem permanecerao.

Isso é tudo o que resta de uma infancia,
É nada mais que a felicidade submersa na ilusao
Sao os olhos, malditos, cheios de esperança.

                                      Luiz
 
luiz gomez
Enviado por luiz gomez em 15/11/2007
Código do texto: T738515

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
luiz gomez
Chile, 28 anos
46 textos (1165 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 23:36)