Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Devaneios II

Como poderia eu, que só fiz te amar, mais que tudo
Te escorraçar de meu coração partido em mil pedaços
Cheio de mágoas e rancores chorados e ressentidos
Lágrima por lágrima em cada noite de lua
Onde ouvi apenas ao longe, o som de sua voz
Ao deixar sem adeus, a casa onde fomos tão felizes
Mostrando que passou o tempo pra mim
E passou pra você também, que hoje é infeliz
A viver em remorso por todo mal que fez,
À um pobre coração que não lhe pode mais pertencer
Talvez por culpa do destino juvenil que se apresentou
Em uma forma inocente, escondendo por debaixo
Da seda do amor, o terror do choro no escuro, o medo
De sofrer, de ser, e enfim, por viver e de amor morrer.
E de uma vez nós dois restaremos sós e apartados
Apenas sofrendo de saudade, longe um do outro
Por orgulho, por receio, por procurarmos a solidão
Então sabemos que as noites serão intermináveis
Que os livros e as fotografias serão a maior prova
Do crime sem testemunhas que um dia cometemos:
O de amar sem importar-se com um ou com o mundo
De sermos felizes, completos e totais realizados
Sonhando o mesmo sonho, sermos eternos namorados
Flávia Jobstraibizer
Enviado por Flávia Jobstraibizer em 12/01/2006
Código do texto: T97919
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Flávia Jobstraibizer
São Paulo - São Paulo - Brasil
77 textos (52168 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 19:54)
Flávia Jobstraibizer