Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AGORA SIM...


O que me prendia?
Senão eu mesma...
O que me amarrava os passos?
Senão a tola que eu era.
Ficava presa à areia que já havia corrido entre os dedos.
Presa a meus medos.
Aos segredos.
Presa a tão pouco, quando é tão amplo o espaço.
Hoje danço fora da gaiola.
Sou pássaro.
Tenho toda a liberdade pra ser eu.
E pra voar.
Posso me esponjar.
Quando presa eu não enxergava o horizonte.
Nem mesmo via o monte.
Tudo era planície e o cavalo do meu peito não ousava correr.
Hoje ele corre.
Nada o assusta.
Nem o morrer.
SONIA DELSIN
Enviado por SONIA DELSIN em 09/07/2006
Reeditado em 01/04/2011
Código do texto: T190555

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
SONIA DELSIN
São Carlos - São Paulo - Brasil
4025 textos (78033 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 09:49)
SONIA DELSIN