Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LUZ

Gosto quando vens mansa, sem o gosto da pressa.
Vens cálida, chorosa. Vens como a brisa da manhã
que se despertou inteira. Gosto assim,
de corpo, alma leve, folha ao vento. Gosto
quando vens direta, mas passas por céus
entre nuvens brancas, como esta sensação
de que vens a mim como o dia.
Gosto quando vens enigma,
sem aviso, sem palavras que afetem
as mãos, sem pele nem flor que rubre
o coração. Gosto quando vens alegria, e chegas
mantra refrescante, semeando raios
de um sol próprio, pequeno calor que não me agita
nem me expia. Assim, como um nada, para
o qual não se pede som, poema, nenhuma chave,
nova estrada. Quando vens, sequer preciso de mim.
 
(do livro COLHEITA DOS VENTOS)
Sítio de Poesia
www.alfredorossetti.com.br
ALFREDO ROSSETTI
Enviado por ALFREDO ROSSETTI em 07/09/2007
Reeditado em 19/07/2008
Código do texto: T643035
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ALFREDO ROSSETTI
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil, 66 anos
143 textos (2372 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 21:27)
ALFREDO ROSSETTI