Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROVÉRBIOS DE SALOMÃO. CAP. 16.

Ao coração do homem pertencem os planos,
Mas a resposta da língua é do Senhor.
Todos os caminhos do homem são limpos aos seus olhos,
Mas o Senhor pesa os espíritos.

Entrega ao Senhor os teus desígnios,
E eles serão estabelecidos.
O Senhor fez tudo para um fim;
Sim, até para o dia mal o ímpio.

É abominação ao Senhor, todo homem arrogante;
Certamente não ficará impune.
Expia-se a iniqüidade pela misericórdia e pela verdade;
E, pelo temor do Senhor, se desviam do mal os homens.

Quando agradam ao Senhor, do homem, os caminhos,
Faz que paz com ele até seus inimigos tenham.
Melhor é o pouco com justiça,
Do que, com injustiça, grandes rendas.

O Senhor, ao homem lhe dirige os passos.
O coração do homem propõe o seu caminho.
Nos lábios do rei acham-se oráculos;
A sua boca não prevarica em juízo.

O peso e a balança justos, do Senhor são;
Obra sua são todos os pesos da bolsa.
Praticar a impiedade para os reis é abominação;
Porque o trono se estabelece com justiça.

Lábios justos são o prazer dos reis;
E eles amam aquele que coisas retas falar.
É mensageiro da morte o furor do rei;
Mas o homem sábio o aplacará.

Na luz do semblante do rei está a vida;
E é como a nuvem de chuva serôdia o seu favor.
É melhor adquiri antes que o ouro, a sabedoria;
E escolher o entendimento, do que a prata é melhor.

A estrada dos retos desvia-se do mal,
O que guarda o seu caminho preserva a sua vida.
A soberba precede a destruição,
E precede a queda a altivez de espírito.

Ser humilde de espírito com os mansos, melhor não há;
Do que com os soberbos repartir os despojos.
O que atenta prudentemente para a palavra prosperará;
E feliz é aquele que confia no Senhor.

O sábio de coração será chamado prudente;
E aumenta o saber, a doçura dos lábios.
Para aquele que o possui, o entendimento de vida é uma fonte;
Porém a estultícia é o castigo dos insensatos;

Instrui a sua boca o coração do sábio,
E aumenta nos seus lábios o saber;
Palavras suaves são como mel de favos;
Doçura para a alma, e para o corpo saúde.

Há um caminho que ao homem direito parece,
Mas o fim dele conduz à morte.
O apetite do trabalhador trabalha por ele;
Porque a isso o incita a sua fome.

O homem vil o mal suscita;
Há como que fogo ardente nos seus lábios.
O homem perverso espalha contenda;
E o difamador separa íntimos amigos.

O homem violento o seu vizinho alicia,
E por um caminho que não é bom, guia-o;
Quando os olhos fecha, fá-lo para perversidade maquinar;
Efetua o mal quando morde os lábios.

Coroa de honra são os cabelos brancos,
Achando-se no caminho da justiça.
Melhor do que o valente é o longânimo;
E, do que toma uma cidade, o que o seu espírito domina.
A sorte se lança no regaço;
Mas procede do Senhor toda disposição dela.
oliprest
Enviado por oliprest em 18/10/2007
Código do texto: T699348
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Oli de Siqueira Prestes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
oliprest
Manaus - Amazonas - Brasil, 67 anos
1917 textos (176321 leituras)
245 áudios (2458 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 15:02)
oliprest

Site do Escritor